Não culpe a janela pela paisagem por Laís Vargas

Olá! Meu nome é Laís, trabalho com o Barreto (não consigo chamá-lo de Caio, superem) e conheci a Linda há pouco mais de três anos. Não lembro exatamente quando soube do câncer – se não me engano foi em 2014 – mas recordo o que pensei naquele momento: “ela é especial, o Barreto tem muita sorte”, apenas isso. E hoje estou aqui para contar uma experiência difícil que enfrentei.

Em 2010 meu melhor amigo faleceu. Aos 24 anos, ele nos deixou vítima de uma doença devastadora como o câncer: AIDS. Foi um dos momentos mais difíceis da minha vida. Não conseguia trabalhar bem, atrasei boa parte da minha monografia e fiquei meses sem dormir 8h por dia. Até hoje me pego chorando embaixo do chuveiro sentindo sua falta (e o mesmo acontece enquanto escrevo esse texto).

Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem 40 milhões de pessoas infectadas com o vírus HIV e, ao contrário do câncer, a AIDS não tem cura. E essa não é a única diferença entre as duas doenças. Minha mãe é psicanalista e trabalhou em um hospital na Tijuca, onde oferecia assistência psicológica aos familiares com pacientes em fase terminal por conta do câncer e da AIDS. Segundo ela, as famílias com casos de câncer recebiam inúmeras visitas e todos falavam abertamente sobre a doença, ao contrário do HIV, no qual muitos familiares não tinham conhecimento do real motivo pelo qual aquele parente estava ali.

O relato da minha mãe fez com que eu refletisse sobre o fato do meu amigo ter sofrido em silêncio. Uma sociedade que está preparada para criticar e apontar o dedo ao invés de estender a mão e ajudar.

imagem1

Quando o Barreto comentou comigo sobre Uma Linda Janela, antes mesmo de seu lançamento, voltei a 2010 em poucos segundos. De acordo com o Ministério da Saúde, a AIDS e alguns tipos de câncer estão entre as 20 doenças que mais matam no Brasil. E se naquele ano existisse uma cura? E se existisse um projeto tão lindo como esse? Será que teria ajudado o meu melhor amigo a entender que muitos passam pela mesma situação e que é possível enfrentar adversidades compartilhando suas experiências?

Uma Linda Janela não é sobre câncer. É um projeto sobre suporte, afeto, experiência, cumplicidade, esperança. Ler os textos do Barreto e da Linda faz com que eu reflita sobre cada uma dessas palavras e veja o outro lado, um lado que vai muito além da doença, das dificuldades e dos devaneios. Nunca vivi de maneira “Pollyanna lifestyle” – que enxerga apenas a metade cheia do copo – mas a história dos dois sempre me faz lembrar que tudo que enfrentamos tem uma razão maior, um aprendizado e a missão de seguir adiante.

O Barreto e a Linda estão espalhando o amor através de uma janela. Você já espalhou um pouquinho de amor na sua janela hoje?

imagem2

 

Ps: se quiser comentar, basta clicar no título do post. Abrirá uma janela com o campo de comentários abaixo 😊

Gostou? Então compartilhe!

3 thoughts on “Não culpe a janela pela paisagem por Laís Vargas

  1. Emocionante a sua participação neste espaço lindo!! Palavras que poderão mudar a história de alguem, contando sua experiência de vida vc compartilha o amor ao outro!! Bj

  2. Muito orgulhosa d seu relato você se tornou um mulher especial com muita sensibilidade grande beujo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *