Sobre Fé

Há muitos anos fui membro de uma Igreja no Rio de Janeiro. Lá aprendi a cuidar da minha alma, aprendi a rezar e a falar com Deus. Tive experiências maravilhosas na minha espiritualidade e tenho até hoje.

Com toda propriedade, posso afirmar que ali tive a base para usar a minha fé. Acreditar em algo, sem deixar nenhum pingo de dúvida contaminar aquele “querer” intenso. Aprendi também que a fé sem obras é morta. Nada vai cair do céu. Preciso crer e somado a isso, “correr atrás” (ou na frente 😉) daquilo que almejo.

Ter suas preces atendidas e poder ver seu sonho ou desejo se realizando é umas das sensações mais maravilhosas que existe. Durante o meu processo de cura, recebia tantas respostas que era emocionante. Podia estar doente, mas me sentia tão amparada, tão amada num plano divino que só posso agradecer por ter me sentido especial o tempo todo.

Existem muitas maneiras de exercitar a sua crença. Minha tia Ana, devota de Aparecida fez um voto vitalício, onde prometeu ir até a catedral uma vez por ano, a fim de agradecer por minha cura.

Minha mãe, um mês depois que tinha recebido alta, foi sozinha e não avisou a ninguém, na Igreja da Penha, aqui no Rio de Janeiro. Sim, ela subiu as escadarias de joelhos (são 359 degraus) e com preces agradecia por sua filha estar viva.

Igreja da Penha
Igreja da Penha

Lembro como se fosse hoje, seus joelhos avermelhados e machucados, mas com sua fé renovada e em paz. Meu pai sempre pedia incessantemente por mim. Era incansável em orar por minha saúde. O meu amor, meu Caio, dizia que não tinha coragem de pedir nada. Ele só agradecia. Sempre soube reconhecer quando uma benção chegava e, por isso, sua fé estava implícita, era inerente a ele e, então, agradecer o tempo todo ao universo era sua forma de acreditar que mais bênçãos viriam. Até finalmente ele me ver salva do câncer.

Muitas vezes quando obtemos a graça pedida, não nos lembramos de continuar acreditando e principalmente, não nos lembramos de agradecer. Agradeça até mesmo por conseguir ter fé, pois é difícil tê-la nas situações adversas.

Costumo dizer que devo minha cura aos médicos, pois sem sua competência e dedicação não haveria solução; a Deus (pois eu acredito Nele), aos anjos, ao universo e a tantas pessoas que pediam por mim e faziam seus votos em prol da minha recuperação.

Foram tantos pedindo e intercedendo por mim que fizeram essa grande bênção acontecer na minha vida.

Obrigada por me amarem, obrigada por torcerem por mim, obrigada por todo o apoio que me deram, pela força que injetaram nesse momento tão turbulento. Obrigada por terem acreditado!!

fe

Ps: se quiser comentar, basta clicar no título do post. Abrirá uma janela com o campo de comentários abaixo 😊

Gostou? Então compartilhe!

5 thoughts on “Sobre Fé

  1. A fé é o caminho para alcançarmos os nossos objetivos, acreditar naquilo que ainda não existe é a forma de nós manter mais fortes,vale a pena usá-la e ver as maravilhas acontecerem em meio as tempestades em nossas vidas❣❤

  2. Tbm passei por uma situação delicada na minha família… há 13 anos atrás minha irmã sofreu um acidente… estava no auge da sua adolescência (19 aninhos)… Alguns médicos diziam que iria ficar tetraplégica… sofreu uma fratura em toda a extensão da coluna vertebral… ficou 3 meses acamada… foram infinitas orações, meus pais, meus familiares, amigos… enfim. Conseguimos um médico chileno que resolveu estudar o caso dela com sua equipe e tentar a cirurgia… Hoje minha irmã está formada (advogada), casou e teve um filho lindo que acabou de completar 1 aninho. Tem algumas limitações mas anda perfeitamente… Foi um verdadeiro milagre na nossa vida… graças a nossa fé que como diz o famoso ditado “move montanhas”
    Para Deus, a única coisa impossível é deixar de nos amar. ❤

    1. Que maravilhoso Lívia!! A fé é uma arma poderosa e nos envia instrumentos de solução, como o médico chileno (meu conterrâneo ;)) e apoio e de pessoas que às vezes nem imaginamos. Obrigada por compartilhar essa linda história. Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *